– Hidratar sempre o cabelo com máscara e sérum.
– Não lavar o cabelo de cabeça para baixo, pois as extensões podem embaraçar umas nas outras.
– Pentear o cabelo, preferencialmente, com uma escova própria.
– O nosso cabelo possui uma queda natural diária de 50 a 100 fios, que vão ficando acumulados nas queratinas em simultâneo com o crescimento do cabelo. Os fios que caem não têm como se libertar e ficam presos nas queratinas formando rastas duplas, triplas, quadruplas (ou mais). Para evitar este acontecimento, é necessário, durante o banho, separar as extensões. Neste processo, é natural ouvires um ruído que, contrariamente ao que se pensa, não parte o cabelo, mas separa os fios que caíram das extensões vizinhas. A formação de rastas unitárias é normal em qualquer método de colocação.
– Como as nossas extensões são de cabelo natural podes pintar. Contudo, as queratinas podem tornar-se porosas e podem-se soltar fios de cabelo, se a tinta utilizada for muito agressiva junto destas. Alguns exemplos de processos agressivos são a descoloração e o shampoo silver/roxo (este só se deve deixar atuar a partir do meio do cabelo, até às pontas).
– Sempre que fizeres brushing, tem cuidado para não dar com o secador ou outros aparelhos na zona das queratinas, para estas não deslizarem.
– Ter o cuidado de prender o cabelo, quando em contacto com águas com cloro e salitre, pois estes também alteram as características da queratina.