Extensões de cabelo Myos
Categoria: Extensões de cabelo

Qual o melhor método – Extensões

O primeiro passo para saberes qual é o método que mais se adequa ao teu cabelo é saberes classificá-lo quanto às suas características. Então, existem três tipos de cabelo: o caucasiano, o oriental e o afro-americano.

CABELO CAUCASIANO
Este tipo de cabelo é caracterizado por ser mais comum na Europa. Tem uma espessura fina e o seu nível de crescimento é intermédio. Poderá ser cacheado, ondulado ou com uma ligeira quebra.

CABELO ORIENTAL
Este tipo de cabelo tem pouco volume, é liso e tem uma espessura intermédia. Por ter pouca textura (não é cacheado nem ondulado), é mais oleoso e brilhante e o seu crescimento é rápido.

CABELO AFRO-AMERICANO
É um crespo e de crescimento lento. Tem uma espessura muito fina e por ser um cabelo bastante texturado, a oleosidade não consegue percorrer os fios. Por este motivo são mais secos e frágeis.

Os métodos 
Existem cinco métodos individuais – Queratina (Rolinho e Envelope), Nó Italiano, Trança Brasileira e Micro-anel – e cinco métodos banda – Tissagem, Banda dupla face, Banda com micro-anéis, Ponto Americano com nó italiano e Ponto Americano fio a fio. Cada método tem características específicas que, consoante o tipo de cabelo, se adaptam melhor a certas clientes que a outras.
O cabelo caucasiano e o cabelo oriental, por serem cabelos finos, não têm força suficiente para aguentar métodos como o nó italiano ou o costurado. Quando optam por estes métodos o couro cabeludo sofre uma grande agressão e o cabelo fica danificado.
O método de queratina é mais leve, por esse motivo, é o mais adequado. Contudo, este método pode ser aplicado de duas formas, em rolinho ou em envelope. A técnica de rolo é mais evasiva, pode danificar o cabelo e magoar o couro cabeludo devido à espessura e peso das queratinas. A par disto, esta técnica tem um resultado final pouco natural.
A técnica de envelope tem diversas vantagens que conseguem tornar este método o mais eficaz para quem quer colocar extensões (em cabelo caucasiano e oriental). Além de serem mais leves, as queratinas ficam num formato achatado, evitando a agressão do couro cabeludo, tornando-as assim mais finas ao toque. Além disto, esta técnica não repuxa os fios de cabelo, tendo o espaçamento necessário para obter um resultado final muito natural.
Na MYOS optamos por fazer sempre a técnica envelope.
Por sua vez, o cabelo afro-americano por ser um cabelo muito fino, mas seco, tem tendência a ficar muito emaranhado, mostrando-se mais forte. Por este motivo é o único tipo capaz de aguentar os métodos de nó italiano e costura sem danificar o cabelo, nem magoar o couro cabeludo. Contudo, este tipo de aplicação esconde o couro cabeludo, tornando o seu uso com temperaturas mais elevadas um pouco desconfortável.
O método de queratina torna-se numa excelente opção quando este tipo de cabelo sofre um alisamento.